SAÚDE MENTAL | 12.MAIO.2022

Como reconhecer sofrimento emocional no ambiente de trabalho?

Mais do que nunca, nossa saúde mental tem sido desafiada e se tornou um tema estratégico para as organizações. Quando as empresas investem nessa área a partir de programas embasados em evidências científicas, há ganho tanto para os colaboradores, em termos de saúde e bem-estar, quanto para a empresa em aumento da produtividade, potencializada pela diminuição de índices como absenteísmo, afastamentos e rotatividade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), quase 1 bilhão de pessoas vivem com algum transtorno mental no mundo, e a pandemia da COVID-19 tem causado um impacto adicional na saúde mental.

No entanto, uma dúvida relevante continua: como reconhecer que um colaborador (colega, líder ou liderado) está com algum sofrimento emocional? Nem sempre os sinais são claros e, muitas vezes, as pessoas não se sentem confortáveis para falar sobre esse assunto no ambiente de trabalho – seja porque não se sentem seguros ou por não gostarem de falar sobre isso.

Ainda, há os casos em que a própria pessoa não reconhece em si mesma o sofrimento emocional. Por isso, é tão importante cultivar um ambiente de trabalho acolhedor e seguro do ponto de vista de saúde mental.

 

Sintomas de sofrimento emocional no local de trabalho:

  • Problemas de sono;
  • Falta de concentração;
  • Dificuldade de memória;
  • Dores físicas (dor de cabeça crônica, lombalgia);
  • Irritabilidade ou choro fácil;
  • Ruídos de comunicação ou de relacionamento com colegas.

Alguns desses sintomas podem afetar o desempenho no trabalho; portanto, reconhecer mudanças é um ponto de alerta: perda de prazos, faltas no trabalho, atrasos e queda na qualidade de entregas podem ser sinais de que algo não vai bem.

A prontidão na oferta de cuidado torna-se uma peça-chave ao reconhecer o sofrimento emocional. Quanto mais acessível e imediato é o cuidado, melhores os prognósticos.

Além disso, contar com uma liderança capacitada para reconhecer esses sintomas se torna uma ação estratégica na construção de ambientes de trabalho mais saudáveis. Uma liderança que proporciona segurança emocional e está disposta a abraçar as vulnerabilidades de sua equipe, que conhece seu time e está aberta a conversar, certamente proporcionará melhoria no ambiente, eliminando estigmas e reconhecendo o ser humano como a fonte de riqueza que é para a empresa.

*Artigo escrito pela equipe médica da Caliandra – Saúde Mental

Burnout vira doença do trabalho. O que muda agora?

Quer ler mais artigos como esse? Cadastre-se para receber a nossa newsletter e fique por dentro das novidades no Portal RH.