GESTÃO DE RISCOS | 11.MAIO.2022

Treinamento de motoristas: prevenção de perdas no transporte de cargas

Dizemos na It’sSeg que uma operação logística consiste, basicamente, em levar uma carga do ponto A ao ponto B, com o máximo de segurança. E no meio disso, nós, gestores de risco, precisamos aliar tecnologia e inteligência a processos efetivos, a fim de evitar perdas e prejuízos no transporte de cargas. Isso, porém, é muito mais complexo do que parece.

Atualmente, o roubo de cargas cresce vertiginosamente no Brasil e no mundo. Por isso, utilizamos todas as ferramentas disponíveis para a prevenção de perdas – da mais simples à mais custosa, mas sempre de forma inteligente.

Ao contrário dos criminosos, devemos pensar nos custos de utilização para que nossas operações não sejam inviabilizadas devido ao excesso. Muito menos correr o risco de pagar caro por um dano que poderia ter sido evitado.

Entre essas ferramentas, uma das mais eficazes, baratas e ao mesmo tempo negligenciadas está o treinamento dos motoristas.

 

A importância do treinamento de motoristas

Se você já frequentou uma central de monitoramento de veículos e teve acesso às estatísticas, sabe que, em 95% dos casos, o trabalho do operador é corrigir os motoristas – o famoso “falso positivo”. Isso acontece, pois, a maioria dos profissionais que estão na base das operações não é treinada. Ou, o investimento está muito aquém do necessário.

As discussões entre operadores e motoristas são causadas por paradas indevidas, uso de macro errado, acionamento inadequado do botão de pânico, bloqueios e autobloqueio, entre outros motivos. São brigas que travam as operações, geram estresse e, pior, tiram o foco das ações e eventos que realmente demandam atenção e intervenção.

Isso tudo gera um alto número de alertas que poderiam, simplesmente, ser resolvidos com o investimento em capacitação dos motoristas da frota. 

Por outro lado, quem já conheceu uma operação na qual os motoristas são treinados, reciclados, ranqueados e premiados, sabe que o percentual de falsos positivos é baixíssimo. O número de alertas reduz drasticamente e, com isso, o estresse diminui, a logística flui, o custo operacional cai e as taxas de seguro também. A colocação no mercado fica mais fácil e o sucesso da operação vem.

 

Treinamento de motoristas deve ser parte da cultura

Ao falamos de treinamento, é preciso ter em mente que se trata de uma mudança cultural na organização. Não adianta fazê-lo a cada seis meses, um ano, apenas quando aparece algum problema ou, ainda, só na troca de tecnologias.

A capacitação deve fazer parte da rotina desses profissionais, que são vitais para o sucesso da operação logística.

Atualmente, é possível mesclar treinamentos presenciais e à distância, personalizados para cada operação, antes do embarque e em pontos de parada. E, para a surpresa de todos, o custo disso é menor que a realização de uma análise de perfil.

Todos os envolvidos nas operações de transporte precisam valorizar essa poderosa ferramenta de segurança que, aliada a outras, traz mais tranquilidade para o dia a dia. Afinal, o transporte de cargas sem motoristas capacitados está fadado a ter maus resultados.

Artigo escrito por Tony Geraldes, consultor de gerenciamento de riscos

Sinistro no transporte de cargas: quem é o responsável?

 

Quer ler mais artigos como esse? Cadastre-se para receber a nossa newsletter e fique por dentro das novidades no Portal RE.

X