PREVENÇÃO DE PERDAS | 01.DEZEMBRO.2021

Perigos do excesso de carga nas estradas

No transporte de cargas, o excesso de peso é considerado um grande problema nas estradas brasileiras. Segundo a Confederação Nacional de Transportes (CNT), só existem desvantagens em transportar sobrecargas nas estradas.

Atualmente, o transporte de cargas via terrestre desempenha um papel importante para a economia do Brasil, movimentando os setores de agropecuária, indústria e comércio. O modal é responsável por 60% da movimentação de cargas no país, segundo a Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT).

Quando o caminhoneiro ou a transportadora decide fazer o transporte da carga em excesso, estará cometendo uma infração prevista nos artigos 99 e 100 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), além de pagar uma multa de nível médio e ter quatro pontos na carteira, caso o peso bruto total, o peso combinado e o peso por eixo forem excedidos.

Além disso, para o motorista alcançar a mesma velocidade habitual com a sobrecarga, o motor será forçado e, portanto, irá consumir mais combustível, aumentando os gastos na viagem e agravando ainda mais a situação econômica dos caminhoneiros autônomos.

Sabe-se que, na média, se um veículo com carga dentro do limite percorrer distâncias de até a 6.000 km/mês nas rodovias, calcula-se que 37% do custo total mensal vem do consumo de combustível, segundo a CNT. Ao multiplicar esse valor por conta do sobrepeso será mais custo para o caminhoneiro.

 

Excesso de carga aumenta risco de acidentes

Os transportadores, que optam por levar excesso de carga nas estradas, podem estar sujeitos a danos e prejuízos com o caminhão, pois as peças do veículo ficam desgastadas rapidamente, diminuindo a duração estabelecida para o funcionamento regular e o tempo de utilidade do caminhão previsto pelo fabricante. Os freios acabam se esforçando mais para conseguirem parar o veículo sobrecarregado, principalmente quando se está em alta velocidade nas vias, o que aumenta o risco de acidentes, além de desgastar as pastilhas, tambor e lona.

Os motoristas, que se arriscam a levar excesso de carga, estarão colocando em risco suas próprias vidas e a dos demais usuários da via. Todo caminhão é feito para receber um determinado limite de peso dentro das especificações do fabricante. Ao infringir o limite estabelecido, o caminhão passa ser menos seguro, abrindo margem para acidentes de nível médio a grave. Os riscos envolvem as situações de frenagem e mudanças bruscas de direção, além de perder a força na subida do caminhão, prejudicando o tráfego local.

Com o maior uso do combustível devido à sobrecarga, aumenta também o efeito estufa e os gases poluentes na atmosfera, favorecendo o aquecimento global, afetando a saúde humana, provocando problemas respiratórios e cardíacos, além de chuva ácida, que causa impacto ambiental nos solos, águas, plantas e lavouras.

Fonte: Revista AdNormas
Quer ler mais artigos como esse? Acompanhe as novidades do Portal RE da It’sSeg em nossa newsletter semanal.

 

Sinistro no transporte de cargas: quem é o responsável?

X