SAFRINHA | 05.JANEIRO.2022

A importância do Milho Safrinha no Brasil

Há cerca de 25 anos, o cultivo do chamado milho safrinha praticamente não existia. Esse sistema de plantio começou em meados de 1980 no Paraná e, devido ao seu grande potencial financeiro, logo expandiu-se para outros estados. O sucesso da produção foi tanto que, hoje, o termo tem sido substituído por “segunda safra de milho”.

Cada vez mais produtores têm investido no milho de segunda safra, que é cultivado entre janeiro e abril, quase sempre depois da colheita da soja. De acordo com levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), para a temporada 2021/22, deverão ser produzidas 117.181,5 mil toneladas de milho safrinha. Este número representa um crescimento de 34,6% em relação à safra anterior.

Atualmente, a produção tem ocorrido na região centro-sul do Brasil, envolvendo os estados do Paraná, de São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

 

Vantagens do cultivo de milho safrinha

No início, a produção da safrinha tinha como objetivo abastecer a demanda de milho para uso na propriedade, principalmente para suinocultores e avicultores, além de substituir o trigo e girassol, uma vez que estes não proporcionavam o retorno financeiro esperado.

Entretanto, ao longo dos anos, o cultivo de milho fora de época demonstrou grande potencial e despertou maior interesse dos produtores, visto que era realizado a baixo custo e gerava bom retorno. Dessa forma, passou a ser cultivado em áreas cada vez maiores.

Entre as vantagens do milho safrinha, estão:

  • Produção de baixo custo, uma vez que é cultivado sem irrigação e se beneficia da adubação residual da cultura anterior, além do plantio ser realizado em época de baixa demanda de insumos;
  • Comercialização na entressafra, ou seja, no período em que a demanda é alta e a oferta é baixa, o que faz valer os riscos da produção;
  • Proteção do solo e geração de resíduos para o Sistema de Plantio Direto.

Como podemos ver, a produção de milho safrinha apresenta algumas vantagens e tem sido cada vez mais adotada. Contudo, para atingir produtividade elevada e obter retorno sobre o investimento, alguns cuidados são necessários, entre eles: a realização de um bom planejamento sobre o momento ideal para o plantio e a escolha de cultivares mais adequadas tanto para época de plantio, quanto para as condições climáticas da região.

Quer saber mais? Acesse o portal da AgroMulher e confira 5 dicas para evitar perdas na produção do milho safrinha.

Fontes: IDGeo, Embrapa

X