PROTEJA-SE | 20.OUTUBRO.2017

Dia Nacional de Combate à Sífilis

A sífilis é um mal que acomete pessoas de todas as idades e sexos. O contágio se dá pelo contato sexual, direto com feridas ou sangue contaminado, ou da mãe para o filho durante a gestação. Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), 5,6 milhões de pessoas são infectadas todos os anos, com exceção da sífilis congênita.

 

Procure ajuda

Cerca de 90% do contágio da sífilis ocorre por relações sexuais desprotegidas. Por isso, usar preservativo é indispensável. Caso você note algum sintoma da doença, procure um médico para realizar o diagnóstico. Ele é feito por meio de exame de sangue ou cultura de bactérias, com a coleta de uma amostra de secreção expelida por alguma ferida ou por pulsão lombar do líquido cefalorraquidiano. Se o diagnóstico for positivo, é muito importante notificar o seu parceiro, para que ele também faça os exames. O tratamento é feito com antibióticos que são oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Fases da doença

/ Primária / os primeiros sintomas surgem três semanas após o contágio, são feridas chamadas de cancro duro, com uma espécie de casca endurecida ou avermelhada. Na maioria das vezes elas se localizam nas paredes vaginais, períneo, colo uterino, prepúcio, boca, nariz e dedos.

/ Secundária / de 6 a 8 semanas depois do desaparecimento das lesões do estágio primário, aparecem manchas na pele, íngua, mal-estar, falta de apetite e perda de peso.

/ Terciária / nesse estágio surgem lesões maiores, problemas no coração, nervos, ossos, músculos, fígado e vasos sanguíneos, convulsão, perda auditiva, acidente vascular cerebral (AVC) e alucinações. Esses sintomas podem surgir de 10 a 30 anos após a fase primária.

X